Institutional
Summary (PT)


O Laboratório de Robótica e Sistemas de Engenharia (LARSyS) desenvolve investigação interdisciplinar em Robótica e Sistemas de Engenharia, cobrindo sistemas dinâmicos e cyber-físicos, interação homem-computador e sistemas sócio- técnicos, bem como investigação em políticas que lidam com a incerteza e o risco na governação. Estas atividades perseguem novas fronteiras do conhecimento com impacte nos oceanos, nos meios urbanos, na aeronáutica e no espaço, nas aplicações biomédicas e nos ambientes de trabalho futuros, e ambicionam estimular novas relações indústria - ciência.

Por exemplo, o trabalho de alguns investigadores do LARSyS pretende assegurar a exploração de novos minerais, hidrocarbonetos e recursos energéticos marinhos maximizando a sua exploração em alto-mar mas evitando os impactos negativos sobre a biodiversidade marinha e os recursos alimentares. Assim se introduz o uso de robótica avançada e de tecnologias de detecção modernas (a 3000 metros de profundidade), juntamente com mecanismos necessários de prevenção de risco e a criação de um observatório baseado na web para a gestão participativa de riscos no Atlântico sul.

Por outro lado, o trabalho em sistemas urbanos tem por objectivo desenvolver a base de conhecimento necessária para suportar uma redução de 20 % no abastecimento de água e 50% na energia associada ao fornecimento e tratamento de água e de águas residuais em regiões urbanas. A Região de Lisboa e a Ilha da Madeira serão os casos de estudo, mas as ferramentas e os pilotos desenvolvidos poderão ser replicados noutros lugares.

A investigação em sistemas aeronáuticos e espaciais tem como objetivo ajudar a triplicar o valor das exportações portuguesas de produtos e serviços de engenharia nas áreas da aeronáutica e do espaço, até 2020. Esta tentativa suporta-se no aprofundamento da compreensão das dinâmicas associadas às novas tecnologias e ao negócio, ao longo da cadeia de valor, no âmbito da instalação da Embraer em Évora, bem como dos desafios emergentes criados para as indústrias relacionadas na área dos sistemas de engenharia.

Na área biomédica, a investigação centra-se no processamento de sinais biológicos (EEG, ECG, fMRI) com o objectivo de melhorar os diagnósticos médicos, no projecto de novos MEMS, para melhorar a análise de imagens, bem como aprofundar a análise dos circuitos cerebrais. Este trabalho está direccionado para projetar, construir e promover uma nova geração de instrumentos de apoio ao diagnóstico e às terapias médicas. A ênfase será dada aos instrumentos de diagnóstico, interfaces cérebro-computador, às tecnologias de assistência (assistive technologies), e à utilização de abordagens bio-inspiradas para construir sistemas robóticos mais eficientes e robustos.

No que respeita às tecnologias robóticas cooperativas, o objectivo é projetar, construir e promover uma nova geração de sistemas e políticas para ambientes de trabalho futuros. A meta é conceber uma nova geração de sistemas que interagem regularmente com os seres humanos em diferentes contextos de aplicação (incluindo fábricas, habitações, hospitais e espaços públicos). A abordagem utilizará robôs de serviço (service robots) e incluirá robots simbióticos e manipulação, bem como políticas e estratégias de aprendizagem para as próximas gerações.

Os campos de aplicação acima mencionados, caracterizam-se por lidar com sistemas complexos, distribuídos e de grande escala. É pois fundamental explorar os novos conhecimentos em ciência das redes (otimização e tomada de decisão distribuídas, processamento de Big Data, e representação das comunidades dos utilizadores para comportamentos pró- sociais e atuação sobre eles), como suporte alguns dos desafios principais desta proposta.

Salienta-se que o LARSyS tem vindo a promover um novo paradigma de cooperação internacional académica e científica, que parece emergir, a um nível sem precedentes, como um importante modelo para o desenvolvimento. É sabido que as universidades dos países desenvolvidos estão agora a operar internacionalmente, abordando não só potenciais alunos individualmente (paradigma tradicional), mas abordando cada vez mais universidades estrangeiras e centros de investigação, autoridades locais e governos, a fim de desenvolver novos arranjos institucionais.

Estes arranjos incluem o apoio na criação, monitorização ou avaliação de instituições emergentes noutros países, na transferência de competências organizacionais, na operação de programas de formação para professores e investigadores, contribuindo para a capacitação do ensino superior e da investigação no exterior e para o "marketing" dos seus benefícios no progresso económico e social de outras sociedades.

Ao nível da formação avançada, as actividades do LARSyS incluem os níveis de pós-doutoramento, doutoramento e mestrado nas áreas de Engenharia Electrotécnica e de Computadores, Ciência da Computação, Interação Humano-Computador, Sistemas Sustentáveis de Energia, Engenharia e Política Pública e Tecnologia de Gestão Empresarial. Investigadores do LARSyS coordenam muitos destes programas, ao nível de mestrado e doutoramento, e lideraram uma série de novas iniciativas a nível internacional, incluindo o MIT- Portugal e as joint ventures Carnegie Mellon- Portugal e EPFL-IST.

Ao nível da transferência de tecnologia e sua comercialização o LARSyS usa os quatro mecanismos: i) formação avançada de recursos humanos qualificados e sua integração em empresas avançadas de base tecnológica, pequenas e grandes; ii) incubação direta de novas empresas de base tecnológica; iii) incubação indireta, através de redes de gabinetes de transferência de tecnologia, nomeadamente através da UTEN (University Technology Entreprise Network), com ligações às UT Austin, MIT e Carnegie Mellon), e iv) através de desafios e competições para promover processos de transferência de conhecimento e a criação de novos empreendimentos.
with the support of: